Iniciação Científica

Um dos objetivos centrais da universidade contemporânea é iniciar o aluno de graduação no exercício da pesquisa. Nesse contexto, uma importante aproximação deste aluno em relação a este contexto de formação processa-se a partir de sua inserção em projetos de pesquisa. Esta iniciação científica deve ser compreendida em duas etapas: a primeira compreende a formulação e realização da pesquisa propriamente dita, em acordo com os métodos e técnicas de investigação, próprias a cada área; a segunda concerne à exposição pública dos resultados obtidos, em forma oral ou escrita.

Dadas as especificidades dessa atividade, torna-se imperativo que no processo de iniciação à ciência o jovem se associe a um cientista experiente, empreendedor, e que se destaque pela qualidade de seus trabalhos de pesquisa.


Como concorrer a uma Bolsa de Iniciação Científica?

Duas são as formas de pleitear uma bolsa de iniciação científica:

  • Por meio de associação a projetos de pesquisa dirigidos por docente-orientador, para  desenvolver um plano de trabalho elaborado por um professor pesquisador, com título de mestre ou doutor, cuja equipe de trabalho desenvolva pesquisas autônomas e não-vinculadas a grupos de pesquisa.
  • Por meio de associação a um docente no contexto de inserção em grupos de pesquisa existentes na UFRN.


Tipos de Bolsas de Iniciação Científica

  • Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC/CNPq


É um programa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) centrado na iniciação científica e tecnológica de novos talentos em todas as áreas de conhecimento. Ao fazer parte do PIBIC, o aluno passa a receber uma bolsa mensal de R$ 400,00 (quatrocentos reais) e assume uma carga horária semanal de 20 horas de dedicação.


  • Programa de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC/ UFRN


A UFRN também é responsável pelo fomento da pesquisa de forma a contribuir para o desenvolvimento do estado. Assim sendo, a Pró-Reitoria de Pesquisa da UFRN possui um Programa de Iniciação Científica nos moldes do PIBIC, cuja previsão orçamentária é parte integrante do orçamento anual da instituição. Ao ser selecionado para este programa, o aluno passa a receber uma bolsa mensal de R$ 400,00 (quatrocentos reais) e assume uma carga horária semanal de 20 horas de dedicação.


Requisitos para o aluno de graduação tornar-se bolsista IC:

 

Para ser bolsista dos programas PIBIC/CNPq e PIBIC/UFRN é preciso:

  • Estar regularmente matriculado em curso de graduação e apresentar bom rendimento acadêmico.
  • Não ter vínculo empregatício e dedicar-se integralmente às atividades acadêmicas e de pesquisa.
  • Estar com o currículo vitae atualizado, cadastrado e atualizado no sistema LATTES CNPq.
  • Ser selecionado e indicado por professor orientador que tiver sido contemplado com quota.
  • Possuir conta bancária, cujo titular seja o próprio discente.


Compromissos do bolsista IC:

  • Apresentar os resultados finais da pesquisa, sob a forma de exposição oral e/ou painel acompanhado de um relatório de pesquisa final com redação científica, que permita verificar o acesso a métodos e processos científicos.
  • Nas publicações e trabalhos apresentados, fazer referência a sua condição de bolsista do CNPq ou da UFRN.
  • Manter, junto à Pró-Reitoria de Pesquisa, através do SIGAA do aluno, seu cadastro atualizado, contendo dados referentes aos documentos: CPF, matrícula na UFRN, nome completo, telefone, e-mail, conta bancária, agência bancária, telefone e endereço para contato.


É vedado ao bolsista IC:.

  • Ser cônjuge, companheiro(a) ou parente, consanguíneo ou afim, até o terceiro grau civil do seu respectivo orientador.
  • Acumular esta bolsa com a de outros programas do CNPq, de outra agência ou da própria instituição.


Elementos mínimos que devem constar de um projeto de pesquisa


Dados Gerais

Título:


Corpo do Plano de Trabalho

Introdução e Justificativa:

Objetivos:

Método:

Referências:

Habilidades a Adquirir:


Cronograma de atividades